Newsletter
Menu
Pesquisa

Helena Matos
Tutora

entrevista

Helena Matos
Tutora

Helena Matos Project Manager, SEO Strategist and Content Distributor na WeMystic e tutora da EDIT. Porto. Em entrevista, conta-nos o seu percurso, como é a sua rotina de trabalho e ainda esclarece-nos em que consiste ser um Project Manager, e quais são os principais desafios.

Ser um Project Manager é ter uma visão 360º e não cair no erro de descurar nenhuma das vertentes do negócio.

E.

O teu percurso académico começou pela área do Jornalismo,
Assessoria e Multimédia. Como é que surgiu a Gestão de Projetos? Fala-
nos um pouco sobre isso.

H

A Licenciatura em Ciências da Comunicação surgiu naturalmente, pois a
leitura e escrita acompanham-me desde sempre. No entanto, esta foi, de certa forma, uma escolha mais óbvia do que apaixonada, e em 2014, 3 anos após concluir a formação académica, surgiu a oportunidade de apostar numa “requalificação de conhecimentos” e uma das áreas de que
se começava a falar nessa altura era, precisamente, o Marketing Digital.
Acabou por se tornar numa boa aposta pois encontrei emprego
rapidamente após a conclusão do curso, na Adclick, onde me iniciei como Community Manager enquanto estagiária, passando, depois, pela gestão de
conteúdo do site E-Konomista, nas áreas de Casa e Lifestyle, função que complementei com a de email marketing manager deste projecto. Em 2018, surgiu a oportunidade de me dedicar a 100% à gestão de um portal, na WeMystic, pois iria ser lançado o website para o mercado anglo-saxónico, sob a minha alçada desde o primeiro dia. É aqui que me encontro desde então, estando agora também responsável pelo mercado hispânico e seu respectivo portal e comunidade.

E.

Como é um dia de trabalho teu? Tens alguma rotina de trabalho
definida?

H

O meu dia de trabalho inicia sempre com o melhor amigo de um marketer digital: o Google Analytics. A primeira tarefa da minha rotina passa por perceber como correu o dia anterior, analisando cada uma das minhas
fontes de tráfego e percebendo os motivos das oscilações positivas ou negativas, se a as houver. O mesmo se passa com a monitorização da
monetização dos websites, percebendo quais as campanhas dos nossos clientes que foram mais ou menos rentáveis e tentando desconstruir
variações que possam ter existido (se uma campanha correu anormalmente
bem, se não há leads para um dado cliente, etc). Depois destas tarefas de
reporting, aplico a mesma análise às redes sociais dos portais, de forma a perceber os highlights de um determinado dia. Como giro uma equipa de
conteúdo externa para ambos os mercados, hispânico e anglo saxónico, outra das minhas tarefas passa por atribuir-lhes os artigos a produzir, algo que faço uma vez por mês, deixando-lhes as keywords a trabalhar para o mês inteiro. Aqui existe bastante trabalho de pesquisa e curadoria da nossa parte, para além de uma atenção necessária à sazonalidade nas pesquisas, para que possamos responder antecipadamente, e com qualidade, às queries dos nossos utilizadores para um determinado período de tempo. A calendarização, preparação, produção, publicação, distribuição e
monitorização do conteúdo são, por isso, acções constantes e cruciais enquanto gestora de produto digital, não esquecendo a sua regular optimização.
Paralelamente, há sempre um dia da semana que dedico à distribuição de vídeo pelas nossas redes, para além da produção de conteúdo visual próprio que é partilhado nos canais social nos quais estamos presentes:
Facebook, Pinterest e Instagram. Por último, e sempre que necessário ao longo do mês, dependendo dos cappings que nos são atribuídos pelos
nossos clientes, faço a gestão da sua visibilidade, quer no próprio site, quer através de outros meios de que dispomos (Push Notifications, Email, etc.), para comunicar estas campanhas da melhor forma possível.

E.

Muito resumidamente, podes esclarecer-nos em que consiste ser um
Project Manager, e quais são os principais desafios? Qual a importância
deste cargo numa empresa/agência?

H

Ser um Project Manager é ter uma visão 360º e não cair no erro de descurar nenhuma das vertentes do negócio. Muito resumidamente, e na
minha opinião, é isto. Não há nenhuma tarefa menor, nenhuma área menor, nenhuma acção que mereça menos atenção que outra. É um grande desafio ter de gerir equipas, interna ou externamente, mantê-las focadas e motivadas para as suas responsabilidades e para o seu papel na big picture. Quando falamos de conteúdo, é ainda mais desafiante ser um gestor de projecto que tem, continuamente, que perceber como equilibrar os dois pratos da balança: num está uma comunidade engajada e fiel a um publisher de qualidade (e isso tem custos), noutro a necessidade de
prosperar ao nível do negócio, levando a bom porto os objectivos de
rentabilidade e margem propostos e que se pretendem.

E.

Na tua ótica, no mundo digital, a formação contínua é crucial? Porquê?

H

Completamente. O mundo gira por vezes a uma velocidade estonteante, e o
mundo digital mais ainda. Há sempre novas ferramentas, há sempre formas
mais eficientes, mais optimizadas, mais precisas de fazer as coisas, mesmo as mais complexas. Deve haver uma atenção constante ao que pode fazer
de nós melhores profissionais, dando-nos mais espaço e abertura para pensar, para planear, para gerir, para levar a nossa produtividade ao nível
que se pretende: uma produtividade com real valor, competitiva no sentido em que nos liberta do que é rotineiro e nos dá margem para fazer diferente, mais e melhor com os melhores recursos. Para isso, é importante manter os olhos abertos, ver como se faz, ver como fazem os outros e perceber como
as pequenas mudanças, trazidas tantas vezes pela aposta no conhecimento
e na curiosidade, se tornam afinal grandes aliadas num universo em
constante mutação.

E.

Tens alguma meta profissional definida para os próximos tempos?

H

A minha grande meta profissional para os próximos tempos é continuar a trabalhar o mais intimamente possível com conteúdo. Temos uma relação estreita que se tem vindo a firmar, e tanto nas vertentes de gestora de produto digital como de copywriter sei que este é o caminho pelo qual quero enveredar. Tal como aquela canção dos Talking Heads, “this must be the place”.

E.

Serás tutora nos cursos de Digital Project Management da EDIT.
Porto. Quais são as tuas expectativas para os mesmos, e de que modo irás dinamizar as tuas aulas?

H

Tenho grandes expectativas em relação à formação de Digital Project Management, em primeiro lugar porque, até à data, todas as minhas aulas foram dadas no âmbito de cursos mais específicos, como o de Social Media
Management ou Content Marketing. Esta é uma formação mais complexa e abrangente, que com certeza irá dotar os formandos dessa visão 360º de que falava há pouco. O curso cobre as áreas-chave para os futuros Digital
Project Managers e a minha contribuição focar-se-á na questão dos
Projectos Digitais e da Comunicação na era Digital. As minhas aulas centrar-se-ão em duas vertentes principais: na minha experiência profissional
enquanto Content Manager e nos exemplos que daí posso extrair e naquilo que é feito fora da minha área de acção directa e que considero ser bem
feito e digno de reflexão (e, porque não, de réplica). Espero que o meu percurso se reflicta nestas aulas e que consiga trazer aos alunos ainda mais certezas que de que a aposta numa área tão desafiante e ilimitada como é a Gestão de Projectos será um investimento para a vida.