Newsletter
Menu
Pesquisa

Filipa Azevedo Coutinho
Tutora

entrevista

Filipa Azevedo Coutinho
Tutora

"Super-hiper-organização", simpatia, humildade, e alguma teimosia.

Estas são as características fundamentais de um Digital Account, na perspetiva de Filipa Coutinho, Digital Editor da National Geographic Portugal. Conhece melhor a tutora do curso intensivo Digital Account & Project Management da EDIT. Lisboa, nesta entrevista

É essencial ter vontade de aprender, estar atento às tendências digitais e saber ouvir.

E.

Podes contar-nos um pouco sobre o teu percurso?

F

Eu estudei Ciência Política e Relações Internacionais na Universidade Nova de Lisboa e fiz o curso de Digital Marketing & Strategy na EDIT., anos mais tarde. Iniciei o meu caminho profissional num evento da UNESCO em Lisboa em 2009. Depois disso passei pela Amnistia Internacional, Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, Publicis e estou atualmente na FOX Networks Group.

E.

O curso Digital Marketing & Strategy na EDIT. contribuiu para um “avanço” no teu caminho profissional? Que mais valias e know-how te proporcionou?

F

Sem dúvida! O curso de Digital Marketing & Strategy na EDIT. permitiu-me mudar a minha área de Licenciatura e saltar para a área Digital, logo a seguir a finalizar o curso. Consegui ganhar um know-how que me serviu de base nesta área e o Projeto 360º foi, sem dúvida, um grande desafio e mais valia para enfrentar o mundo digital a “pés juntos”.

E.

Como é um dia de trabalho teu, atualmente?

F

O meu dia de trabalho começa e termina sempre da mesma forma: uma análise aos números do site www.natgeo.pt. Além de estar sempre atenta aos números e resultados do site e da página de Facebook, faço a seleção dos conteúdos internacionais que vamos incorporar no mercado local e sou responsável por parcerias com instituições/empresas/organizações de Estado e anúncios no site. Acabo por ter uma função 360º de todo o backoffice e de tudo o que é publicado no site português.

E.

Na tua perspetiva, qual a importância da gestão de projetos digitais para as agências e empresas, e que evolução prevês na área e consequentemente neste mercado de trabalho?

F

Já não temos hipótese de contornar o mundo digital. Esta área serve de complemento a quase tudo, seja a um veterinário que quer melhorar a performance dos seus anúncios, seja a um escritor do século XX. E, dependendo desse fluxo e profundidade digital, é conveniente ter um gestor de projeto(s) que saiba o que está a fazer e o que pode melhorar.

Acredito que num futuro próximo tenhamos uma grande percentagem da população portuguesa com cursos ou workshops digitais nesta área, porque somos todos obrigados a saber um bocadinho disto.

E.

Quais consideras serem os maiores desafios desta profissão?

F

O maior desafio e o truque para dar cartas nesta área é sem dúvida: ler, ler, ler. Manter-nos informados das mudanças digitais quase diárias.

E.

Podes partilhar um ou dois projetos que gostaste mais de trabalhar?

F

Gostei muito de colaborar na task force que a Faculdade de Ciências tinha em desenvolver colaborações com os PALOP e, no ano passado, tive a oportunidade de fazer parte do lançamento do rebranding do site da National Geographic português.

E.

Utilizas algum tipo de recursos ou plataformas para te manteres a par das tendências no campo da gestão de projetos, e do digital?

F

Leio de tudo um pouco. Adoro o Twitter, o Google News e o Pocket. Com estas apps consigo manter-me atualizada em poucos minutos. Gosto de espreitar as notícias logo de manhã e ao final do dia. Tenho um grupo no Whatsapp com alguns colegas da área em que trocamos links com novidades da área.

E.

Na tua opinião que características são mais importantes no perfil de um Digital Account? E que passos consideras serem cruciais para alguém se tornar um bom profissional da área?

F

Não é toda a gente que consegue ter um perfil natural de Digital Account. Eu não o tinha mas fui desenvolvendo, após ter percebido o perfil da minha equipa de contacto e das equipas criativas, de media e de web development.

As características que considero fundamentais para esse cargo são: super-hiper-organização, simpatia, humildade, e alguma teimosia. Temos de saber engolir alguns “sapos”, quer do lado das equipas criativas quer do lado do cliente.

É essencial ter vontade de aprender, estar atento às tendências digitais e saber ouvir.