Newsletter
Menu
Pesquisa
Edit.ES

Tiago Nogueira
Tutor

entrevista

Tiago Nogueira
Tutor

Tiago Nogueira, Doutorando na Universidade de Vigo, considera que, ”(...)apenas irão suceder aqueles que foram capazes de se especializar e de pensar estrategicamente”. Conhece melhor o tutor da EDIT. Porto nesta entrevista.

Aprendo imenso com os alunos da EDIT e posso dizer que uma das melhores decisões (e oportunidades) que tive foi esta colaboração.
Os alunos que ingressam na EDIT têm um mindset muito bem desenvolvido e sabem o que querem.

E.

Fala-nos um pouco sobre o teu percurso. O que te levou a optar pela área da comunicação, e posteriormente do Marketing Digital?

T

O meu percurso não é o mais vulgar e, sinceramente, é uma história interessante. Comecei por frequentar uma licenciatura em contabilidade no ISCAP, e só no final do 1º ano é que me apercebi de que, realmente, aquilo não seria o que eu pretendia fazer da minha vida.

No ano seguinte enveredei por uma licenciatura em Comunicação Empresarial, e no fim da mesma, ingressei no Mestrado em Ciências da Comunicação na FLUP. Contudo isso continua um pouco afastado da área do Marketing (Digital).

Foi de uma forma bastante autodidata que comecei a dar os primeiros passos, a ler os primeiros artigos, e-books, realizar os primeiros MOOCs e a contactar diretamente com figuras internacionais ligadas à área do digital em busca de respostas, que na minha opinião ainda não existiam em Portugal, uma realidade que esteve atrasada relativamente ao resto da Europa.

Foi a partir daqui que comecei a ganhar aquele “bichinho” por trabalhar na Internet e por ter a possibilidade de trabalhar numa área que não existia na altura em que eu nasci.

E.

Consideras que as empresas e marcas têm usado as redes sociais de forma eficaz?

T

Sinceramente, acredito que tenho uma opinião muito diferente da generalidade dos profissionais que atua na área do digital, mais nomeadamente do social media, em Portugal.

Não creio que as marcas, na sua maioria, estejam a trabalhar bem. Isto porque o que tenho visto é que as marcas não “escutam a sua audiência” e não dão aos seus seguidores aquilo que eles querem, mas sim aquilo que lhes convêm. Irónico, não?

E.

Quais as maiores dificuldades, e consequentes cuidados, que um profissional de Social Media deve ter no mundo das redes sociais?

T

Um profissional de social media não deve remar um barco sozinho, deve ser provido de um “motor” para fazer o seu trabalho. Quando digo isto refiro-me a ter as ferramentas necessárias para efetuar um bom trabalho.

Quantas não são as organizações que estão nas redes sociais só porque “sim”? Todos conhecemos empresas que estarem lá ou não estarem é basicamente o mesmo.. e infelizmente há aquelas que mais valia não estarem, pois é cada “tiro no pé”.

Além de não terem o apoio necessário para desempenharem o seu trabalho e serem vistos como canivetes suíços, os profissionais de social media deveria ter uma abertura tão grande dentro da organização que lhes permitisse ir diretamente ao CEO e dizer o que deveríamos fazer em situações de crise, por exemplo, e não esperar como cordeiro a decisão de alguém que não está lá e não sabe realmente o que se passa, o que está por trás.

E.

Como é que te manténs atualizado sobre o mundo do Marketing Digital? Podes partilhar alguns dos recursos/plataformas que utilizas?

T

O mundo do digital é como um relógio, está constantemente em andamento e mesmo que paremos no tempo, ele não espera por nós. Consulto e privo com alguns profissionais mensalmente de forma a poder aprender e partilhar o que faço.

Social Media Today, Social Media Examiner, HubSpot, Tech Crunch, são (poucos) exemplos daquilo que leio diariamente para me manter atualizado. Claro que não é fácil ler isto tudo, mas como é um vício desfolhar um jornal ou livro, deverá fazer parte do nosso dia-a-dia manter-mo-nos informados. É preciso ter gosto e fazer disto um hobby para que consigamos estar constantemente atualizados.

Não me posso esquecer da importância do LinkedIn no meu dia-a-dia, onde vou partilhando, mas sobretudo aprendendo, com profissionais multifacetados e com a mesma intenção que a minha: ser melhor partilhando.

E.

Que aspetos destacas da experiência de ser tutor da EDIT.? Também aprendes com os teus alunos?

T

Aprendo imenso com os alunos da EDIT e posso dizer que uma das melhores decisões (e oportunidades) que tive foi esta colaboração.

Os alunos que ingressam na EDIT têm um mindset muito bem desenvolvido e sabem o que querem. 

O interesse demonstrado por estes alunos é incrível e leva-me a contactar semanalmente com eles, mesmo depois dos curso terem terminado, porque criam-se relações muito próximas e de um profissionalismo tão grande que a partilha de informação entre todos torna-se algo muito natural.

Além disso, a relação entre tutor e aluno é algo muito especial, pois o ambiente informal que se vive permite uma aprendizagem mais ambiciosa por parte dos alunos e leva a que os mesmos realizem vários cursos depois do primeiro, pois sentem que não há um guru dentro da sala, mas sim pessoas com a ambição de serem melhores e uma igualdade entre todos.

E.

Podes deixar um conselho para quem pretende, nesta fase, entrar no mercado do Marketing Digital? Que características devem ter salientes os profissionais desta área, na tua opinião?

T

Proatividade. Sempre que me pedem para responder a esta questão lembro-me de como comecei e de algo que esteve sempre presente no meu dia-a-dia: humildade.

Não basta tê-la nos primeiros dias, nos primeiros meses, nos primeiros anos. É necessário tê-la durante o resto do nosso percurso e aprendermos que não somos mestres, nem sábios, e que gurus não existem.. e se “existirem” desconfiem.

Realizem um cronograma do que querem aprender diariamente, semanalmente ou mensalmente e cumprem com aquilo com que se comprometem, só assim irão conseguir evoluir, pois a área que hoje é X, amanhã poderá ser Y, o social media é uma constante e não depende só de nós utilizadores, mas sobretudo das plataformas e dos algoritmos.