Newsletter
Menu
Pesquisa

Bruno Meneguiti
Tutor

entrevista

Bruno Meneguiti

Tutor

Bruno Meneguiti é Senior Product Manager na Farfetch e tutor da EDIT. Em entrevista, conta-nos o seu percurso, como é o seu dia a dia de trabalho e quais são as plataformas ou websites de referência que aconselha para quem quer aprender mais um pouco sobre a área de Product Management.

Explicar o que eu faço para a pessoas próximas e que não são de tecnologia é sempre um desafio, mas eu gosto de fazer a analogia de que o  trabalho de um Product Manager é um mix de médico e de cientista.

E.

Fala-nos um pouco sobre o teu percurso académico e profissional.

B

Eu trabalho com Produto e tecnologia há mais de 10 anos. Minha carreira começou logo após eu terminar um curso técnico em informática, em um tempo em que a rede social mais conhecida era o Orkut e que a Netflix ainda enviava DVDs pelo correio.

Isso me permitiu acompanhar o crescimento da importância do papel de gestor de produtos e de temas como experiência de usuário, design, research e do mindset da construção de produtos.
Ao longo desse período pude também desempenhar diversos papéis em produto, como Product Owner, Group Product Manager e até Head of Product, isso em produtos B2B e B2C. E em diversos segmentos, como: e-commerce, mobility, online travel agency e supply chain.

E.

Como é o teu dia a dia de trabalho? Tens alguma rotina definida?

B

Quando se trabalha em um produto de grande escala, que é global e com tantos desafios e oportunidades diariamente é complicado manter uma rotina. Isso exige um esforço da adaptação contínua, comunicação e uma capacidade de planeamento. 

Entretanto, normalmente, começo o dia fazendo a daily com as equipas para remover algum impedimento e alinhar prioridades. Em seguida procuro focar na análise das métricas do produto, de novas iniciativas e refinamento de backlog, que envolve avaliação de impactos, soluções, estimativas, definição de prioridades e dependências.

Intercalo essas atividades com muita comunicação através do slack e reuniões, sejam elas com outras equipas, engenharia e stakeholders. Algumas para discutir pontos específicas ou outras ainda sobre temas para melhorias de processos e formas de trabalho

Procuro usar o final do dia também para desacelerar e inicio o planeamento do próximo dia.

E.

De forma breve, em que consiste ser um Product Manager?

B

Explicar o que eu faço para a pessoas próximas e que não são de tecnologia é sempre um desafio, mas eu gosto de fazer a analogia de que o  trabalho de um Product Manager é um mix de médico e de cientista.

O de médico no sentido de que os problemas e oportunidades podem ser encaradas como um paciente doente, onde cabe ao médico fazer o diagnóstico, usando os exames e equipa multidisciplinar, a fim de indicar a correta medicação ou indicação, sempre com o foco na saúde do paciente.

Em uma segunda vertente, acho que o Product Manager tem um quê de cientista, quando foca mais na parte exploratória e Discovery, onde há um objetivo e cabe a ele direcionar experimentos que tentem solucioná-lo.

E.

Quais são os maiores desafios para os profissionais da área?

B

Acredito que o grande desafio continua a ser a essência do papel de Product Manager, que é garantir que estamos a resolver os problemas corretos. Veja que não estou a falar sobre solucionar de forma correta os problemas, mas sim escolher o que atacar corretamente.

Tem uma frase de Peter Drucker que resume bem esse desafio:

“There is nothing so useless as doing efficiently that which should not be done at all”.

E.

Que plataformas ou websites de referência aconselhas para quem quer aprender mais um pouco sobre a área de Product Management?

E.

Podes partilhar connosco alguns projetos que te deram especial gosto trabalhar/participar?

B

Foram muitos, mas posso citar aqui 2. Um deles foi na primeira startup que trabalhei, a empresa estava tendo um grande crescimento e tinham acabado de lançar um novo produto que estava tendo bastante aderências dos parceiros. Eu era recém-chegado e como todo lançamento inicial para validação de hipótese o produto tinha alguns gaps e problemas de escalabilidade. Dentro de um ambiente tão dinâmico e com tantas mudanças foi muito desafiador gerir o roadmap, porém havia muita autonomia e todos eram empoderados na tomada da decisão.

O segundo é mais recente e envolveu o lançamento de um novo parceiro dentro da nossa plataforma de ecommerce / Supply chain. Nunca havia trabalhado em algo tão grande e que envolvesse tantas equipas e dependências ao mesmo tempo. Garantir alinhamento com tantas equipas geodistribuídas e sem perder o foco no valor que estava a ser entregue foi mesmo um exercício que levo como aprendizado.

E.

Tens alguma meta profissional definida?

B

Tenho como meta continuar a crescer e aprender dentro da minha carreira, ocupando cargo estratégicos. Além disso, poder compartilhar meu conhecimento adquirido ao longo desses anos, seja como professor ou tutor.

Algo que vejo a longo prazo também é ter a minha própria startup, por que não?

E.

Quais são as tuas expectativas, enquanto tutor do novo workshop Digital Product Planning Process da EDIT.? De que modo irás dinamizar o mesmo?

B

São as melhores possíveis, era algo que já fazia no Brasil e ter a oportunidade de fazê-lo em Portugal será melhor ainda, especialmente na EDIT. Acredito que ao aprendizado ocorre pela troca de experiências e pela experimentação, só aprendemos fazendo, errando e tentando novamente.

Por isso, podem esperar algo bem prático em que vamos simular cenários reais e vamos nos permitir errar em uma ambiente controlado para que possamos treinar nosso cérebro. A única certeza é que vamos falhar e temos que ter espaço para isso.