Newsletter
Menu
Pesquisa

Marcelo Melo
Tutor

entrevista

86 votos

Marcelo Melo
Tutor

Já fez parte de projetos para marcas como a Coca-Cola e a Motorola, trabalhou na Globo.com e é atualmente Senior Product Manager na Farfetch. Marcelo Melo, tutor do curso intensivo Digital Product Design & Management na EDIT. Porto, conta-nos o seu percurso profissional, e opinião sobre a profissão. Diz-nos que “o Product Manager deve ser como o CEO do seu produto”.

Estudar sempre! Buscar conhecimento nas diversas áreas de conhecimento relacionadas
com produto. Quando decidi que iria ser um Product Manager, comecei a procurar formação nas áreas onde eu não tinha muito conhecimento.

E.

Consideras-te um apaixonado pela gestão de produtos digitais? Fala-nos um pouco sobre o teu percurso académico e diferentes experiências
profissionais.

M

O meu nome é Marcelo Melo, sou brasileiro, da cidade do Rio de Janeiro. E sou
verdadeiramente apaixonado por trabalhar com produtos digitais.

Trabalho com o ambiente digital desde 2004, sou formado em Desenho Industrial, com
habilitação em Comunicação Visual pela PUC-Rio – Pontifícia Universidade Católica do Rio
de Janeiro – e possuo especialização em Marketing e Experiência do Utilizador.

Iniciei a minha carreira profissional a estagiar numa agência digital especializada em UX
Sirius Interativa – onde aprendi a pensar em pixels e conheci os wireframes, o HTML e o
potencial da Internet. De seguida, trabalhei no Buscapé (maior website de comparação de
preços da América Latina) onde tive a oportunidade de evoluir produtos digitais que
impactavam milhões de utilizadores, em diferentes países, e coordenar a minha primeira
equipa de design.

Resolvi realizar o sonho de empreender e fundei a CAIODUO, uma agência de produto e
marketing digital, onde tive a oportunidade de desenvolver projetos para grandes clientes
como Match.com, Zoom.com.br, Rede Record de televisão, Mundi.com.br. Lá tive a
oportunidade de ser cofundador de outros projetos, e um desses projetos virou uma startup
onde pude trabalhar na criação de um produto digital desde a origem, o Quitei.com –
website de negociação de dívidas e educação financeira – foi realmente uma experiência
inesquecível. Recebemos diferentes propostas de fundos de investimentos e chegamos a
assinar contrato com um grande fundo. Entretanto, por divergências entre os sócios
acabamos por nos separar e a empresa deixou de existir.

Após essa experiência optei por fechar as portas da agência e voltar ao mercado de
trabalho. Trabalhei na Me Digital como Product Manager de uma booking engine para
hotéis – Me Reservas. De seguida fui contratado para estar à frente da equipa de
estratégia de produto de uma grande empresa americana de consultoria em UX e produto,
a Huge Inc., onde tive a oportunidade de trabalhar em projetos para a Coca-Cola, Motorola,
Whirlpool, Claro (telecom), Estadão (um dos maiores jornais do Brasil), entre outras
grandes empresas.

Saí da Huge para ingressar na Globo.com – braço digital do grupo Globo (maior grupo de
media da América Latina) – onde fui responsável pela visão de produto da área de
Assinaturas Digitais do principal produto digital do Grupo, o Globo Play (Plataforma de
VOD – Video On Demand). Foi uma experiência incrível onde pude lidar com uma base de
40 milhões de utilizadores.

Após alguns anos na Globo.com, recebi a proposta de integrar o squad de monetização na
OLX Brasil. Outra experiência memorável, onde tive a oportunidade de trabalhar com a
economia colaborativa e impactar a vida de 7 milhões de utilizadores por dia.

Atualmente, sou Product Manager na Farfetch, onde integro o cluster de Acquisition
Engagement, e sou responsável pelas definições de produto das comunicações
transacionais (nos diferentes canais – email, Push, SMS, WeChat) para todos os 190
países onde operamos.

E o que mais me encanta no meu trabalho, e me move a querer partilhar experiências e
lecionar sobre produto, é a possibilidade de fazer a diferença na vida das pessoas através
dos produtos digitais.

E.

Como é um dia de trabalho teu?

M

Começo o meu dia analisando os números de performance e métricas de negócio dos
produtos que estão sobre minha gestão. Em seguida, participo na reunião diária (stand up
daily meeting) com a minha equipa de tecnologia, onde eles apresentam o que fizeram no
dia anterior, o que pretendem fazer no dia em questão e as dificuldades encontradas.
Participo nas reuniões sobre novas procuras para os produtos em que tenho
responsabilidade, realizo a priorização das procuras em que a minha equipa vai trabalhar,
faço apresentações para demonstrar e divulgar o trabalho que fizemos, e realizo
alinhamento de expectativas com os meus stakeholders (profissionais de áreas
interessadas na evolução dos produtos).

E.

Que evolução prevês na área dos produtos digitais, nas mais diversas áreas de negócio, e no mercado de trabalho?

M

Os produtos digitais estão cada vez mais a tornar-se ferramentas essenciais para auxiliar
as pessoas nos diferentes aspetos das suas vidas. As novas tecnologias surgem
modificando os velhos hábitos, quebrando barreiras e influenciando a vida da grande
maioria das pessoas. Novos modelos de negócio têm alterado o rumo de indústrias
estabelecidas (Netflix vs Blockbuster, Spotify vs Gravadoras, Uber vs Taxi, Airbnb vs
Hoteis).

Temos o poder de influenciar, negociar, aprender, comprar, mover-nos, comunicar-nos e
entretermo-nos em qualquer sítio, em qualquer momento, em questão de segundos, com
nossos telemóveis. A evolução dos produtos digitais, que hoje ocorre no nosso bolso,
explorando serviços e negócios no mundo físico e digital, será cada vez mais influenciada
pelos nossos comportamentos e estará presente de maneira mais intensa e com uma
qualidade cada vez maior, nos diversos devices do nosso dia-a-dia.

Daqui a alguns anos, a nossa cama saberá que dormimos pouco na noite passada e irá
sugerir para o nosso smartwatch que nos lembre de tomar um copo a mais de café durante
o dia. Neste mesmo dia, ao voltar para casa, as luzes do apartamento estarão em 50% de
intensidade, para que a pessoa possa relaxar e dormir mais cedo, para repor as horas de
sono perdidas. E assim, os produtos digitais serão cada vez mais integrados entre si e na
nossa rotina, auxiliando-nos em todos os âmbitos da nossa vida.

No mercado de trabalho as equipas estarão espalhadas por todo o mundo desenvolvendo
projetos sem barreiras, pois as videoconferências serão projeções holográficas onde
poderemos fazer uma pergunta em tempo real para o nosso colega que se encontra na
China, sem a necessidade de ligar para ele e esperar que a conexão com a Internet esteja
boa.

E.

Qual a importância das metodologias Agile e porque devem as empresas apostar em profissionais com conhecimento e experiência
nestas?

M

Possuo certificação como Scrum Product Owner, Scrum Master e formação em Lean
Kanban. E estou sempre à procura de me atualizar em novos métodos e processos de
gestão de projetos e pessoas, pois entendo que as metodologias ágeis têm como objetivo
principal entregar mais valor em menos tempo, e validar hipóteses antes de se investir
tempo (e dinheiro) na construção do projeto completo, que muitas vezes pode estar a ser
criado na direção errada.

E como saber se estamos na direção certa? Errando rápido. Como?

Por exemplo: Um projeto desenvolvido em metodologia cascata (waterfall) de criação de
um produto que tenha a duração prevista de 9 meses, imagine que ao fim dos nove meses
entregamos o produto para ser vendido ao consumidor e só então descobrimos que
ninguém deseja esse produto.

Se utilizássemos metodologias ágeis para o desenvolvimento deste projeto, poderíamos
descobrir que o produto a ser desenvolvido não deveria ser este, logo no primeiro mês,
quando fizéssemos um MVP (mínimo produto viável) e testássemos um protótipo do
produto com consumidores reais. Restariam mais 8 meses para podermos testar novas
hipóteses e aumentariam as nossas chances de sucesso e de retorno sobre o investimento
realizado.

E.

Utilizas algum tipo de recursos/plataformas para te manteres a par das tendências do digital? Se sim, quais?

M

Sim. Assino algumas newsletters sobre produto, inovação e tecnologia, e acedo
regularmente a alguns websites e canais de vídeo. Além de estar sempre a ler livros e
artigos sobre temas relacionados com produto.

E.

Quais as tuas expectativas enquanto tutor do curso intensivo Digital Product Design Management na EDIT. Porto? Como irás lecionar as aulas e transmitir o teu know-how?

M

Tenho uma grande expectativa. Espero conseguir transmitir de forma simples e eficiente os
meus conhecimentos e experiência através do curso, e que os alunos possam aproveitar
ao máximo tudo o que for ensinado e exercitado durante a formação.

Gosto de trabalhar o conteúdo teórico sempre balanceado com exemplos práticos e com
exercícios que simulam situações reais. É importante ter o conhecimento e também saber
como e quando aplicar o que foi aprendido.

E.

Que caraterísticas e mais valias deve ter, na tua opinião, um bom Digital Product Manager?

M

O Product Manager deve ser como o CEO do seu produto. Assim como o CEO cuida da
sua empresa, da mesma forma o Product Manager deve cuidar do seu produto. Portanto, o
Product Manager ideal deve ser um profissional multidisciplinar, que tenha conhecimento
de marketing, tecnologia, design, gestão de negócios, gestão de pessoas, gestão de
projetos, análise de dados, estatística, pesquisa… e principalmente conhecimento sobre o
seu produto, e que consiga construir a visão de futuro do seu produto balanceando as
necessidades dos seus utilizadores, os objetivos de negócio da empresa e as
necessidades dos stakeholders.

E.

Podes dar alguns conselhos a quem ambicione seguir e evoluir nesta área profissional?

M

Estudar sempre! Buscar conhecimento nas diversas áreas de conhecimento relacionadas
com produto. Quando decidi que iria ser um Product Manager, comecei a procurar
formação nas áreas onde eu não tinha muito conhecimento, fui-me especializando até me
sentir confortável para estudar uma nova área, e desta forma fui montando um portfólio de
conhecimento, e continuo a atualizar-me sempre.