Newsletter
Menu
Pesquisa

Rita Teixeira
Costa
Aluna

entrevista

16 votos

Rita Teixeira Costa
Aluna

Iniciou o seu percurso académico na área do Direito, mas descobriu no Marketing Digital uma paixão, na qual apostou como futuro profissional. Rita Teixeira Costa foi aluna do curso Digital Marketing Foundations na EDIT. Porto e partilha a sua experiência e feedback da formação, nesta entrevista.

A EDIT. foi uma decisão bastante fácil. Depois de me informar sobre as alternativas que existiam no mercado, reparei que era unânime: quem estuda na EDIT. não sai arrependido e geralmente mantém-se na área, com saídas profissionais bastante interessantes (tanto no Porto como em Lisboa).

E.

A tua formação académica foi na área do Direito. O que te levou a ponderar e ingressar no curso intensivo Digital Marketing Foundations na EDIT. Porto?

R

A EDIT. foi uma decisão bastante fácil. Depois de me informar sobre as alternativas que existiam no mercado, reparei que era unânime: quem estuda na EDIT. não sai arrependido e geralmente mantém-se na área, com saídas profissionais bastante interessantes (tanto no Porto como em Lisboa).

A escolha do curso foi um passo estratégico na minha formação e “transformação” profissional, como gosto de lhe chamar. No momento em que decidi não prosseguir a área legal, soube que para mim faria sentido continuar a minha formação, passo-a-passo, até chegar ao Marketing e à Comunicação. Comecei por um Mestrado duplo em Direito e Gestão, com elaboração de tese e especialização no marketing sensorial, ao mesmo tempo que optei por ingressar na formação na EDIT.

Para mim, fez sentido que o meu currículo se fosse construindo, de forma sólida, na área que pretendo exercer e o curso simplesmente solidificou alguns conhecimentos que adquiri, tanto no mestrado, como na minha experiência profissional enquanto freelancer na área (além de todo um sonho de criança que sempre passou pela área da Comunicação).

Na realidade, foi quase como dar um passo para trás, para em seguida dar uns dez para a frente. E não poderia estar mais satisfeita.

E.

Que impacto teve esta formação na tua evolução profissional? E no teu desenvolvimento pessoal?

R

Como referi, foi um solidificar de conhecimentos em várias áreas do Marketing e da Comunicação e um “colocar as mãos na massa” em aspetos que não me eram tão familiares.

A nível pessoal, acima de qualquer coisa, confirmou toda a minha paixão pela Comunicação e pelo Marketing que sempre soube que tinha e que sempre soube que um dia iria acabar por prosseguir. Sempre fui uma pessoa bastante extrovertida e comunicativa, e sempre tive uma vontade muito grande de colocar isso em prática.

Juntar essa vertente pessoal e ter a oportunidade de a aplicar na minha vida profissional é a cereja no topo do bolo!

E.

Qual a tua opinião sobre o contributo dos tutores, enquanto profissionais ativos na área?

R

Foi incrivelmente interessante conhecer os formadores e absorver um pouco do conhecimento de cada um deles.

Sempre que me via a transitar de módulo e a conhecer um formador diferente, adorava a partilha de experiências profissionais e histórias de vida e sentia-me sempre um pouco mais entusiasmada com as possibilidades de carreira que existem na nossa área.

O modelo teórico-prático que a EDIT. aplica nos seus cursos, formações e workshops está super bem delineado.

A minha geração e faixa etária (embora as formações abranjam um enorme leque de idades e backgrounds), não tem grande interesse em continuar a explorar a área que os apaixona de forma continuamente teórica. Nós somos uma geração de “fazer”. Gostamos de absorver conhecimento mas adoramos ter a possibilidade de o colocar em prática.

E isso na EDIT. acontece: tanto em cada módulo com a grande componente prática como no projeto final.

Não conheço um formando mais fascinado do que um formando que consegue facilmente aplicar o conhecimento que absorveu e que o apaixona, na área que o apaixona mais.

Resultará sempre num formando feliz e num trabalho conseguido com muito amor e dedicação.

Existirá melhor receita?!

E.

Consideras que o curso permite uma boa introdução ao Marketing Digital, a quem tem background distinto do Marketing e Comunicação?

R

Definitivamente. Julgo que qualquer formação intensiva e mais prática numa área concreta – seja ela qual for – dá-nos a oportunidade de perceber se esta é ou não a área que nos apaixona.

Geralmente quem vem de um background distinto, tem uma paixão que sempre guardou em segundo plano ou que descobriu num momento posterior e que necessita de confirmar se na prática vai de encontro ao que idealiza, ou não.

Embora algumas componentes do Marketing e da Comunicação possam não ser tão claros sem uma formação ou conhecimento prévios, servirá pelo menos para espicaçar o interesse.

Várias mudanças de carreira profissional e/ou de vida surgem mesmo assim: quando saímos da nossa zona de conforto e nos colocamos à prova numa área diferente. Numa formação diferente. Num emprego diferente. Num país diferente que nos obrigue a falar uma língua diferente e a ter contacto com uma cultura totalmente diferente da nossa, quiçá.

E.

Qual a importância da formação contínua para quem trabalha no digital? De que modo te atualizas relativamente às tendências?

R

O digital muda a cada segundo. Nós somos a geração do digital, vivemos na era do digital e acabamos por consumir a área de forma sedenta. E ela não fica atrás: acaba por se alterar e mutar com uma rapidez difícil de acompanhar. A formação contínua permite precisamente isso, que tentemos alcançar o ritmo dela e nos mantenhamos “continuamente” a par das novas tendências, ferramentas e de tudo o que ainda está para chegar.

E que não fiquemos para trás.

Eu tenho uma regra pessoal: antes de qualquer coisa, eu tento ler as notícias do dia. Nerdy como sou, gosto de me manter a par do mundo e acabo por não dispensar as notícias que saem, inclusivamente, sobre o digital. Gosto de – tentar – andar ao ritmo do mundo (o que cansa, pois ele é bastante rápido, até para quem pratica tanto desporto como eu!).

O fácil e automático acesso que temos às notícias hoje em dia permite-nos acompanhar as tendências a partir de casa, no metro, na praia, no trabalho … em qualquer sítio.

Tira cinco minutos do teu dia e vê o que se passa no mundo. Ele vai agradecer o teu contributo.

E.

Tens definida alguma meta profissional, a longo prazo?

R

De momento trabalho em Agência e gosto muito desse ritmo alucinante que vivemos diariamente. Tudo muda, tudo acontece, tudo deixa de acontecer: ao mesmo tempo. O que me obriga a sair da zona de conforto e a desafiar-me diariamente. E para mim, esses são os segredos para evoluir.

Se pretendo continuar no mesmo ritmo e trabalhar em Agência para sempre? Não sei dizer.

Conhecendo-me como conheço, gosto de mudar e aprecio muito o contacto com várias dinâmicas. Se me fizerem um convite para algo completamente diferente do que faço agora e tal me desperte interesse, talvez acabe mesmo por mudar a minha vida mais uma vez e aceitar.

E.

Que conselhos podes dar a quem pretende ingressar no mercado digital, de forma a diferenciar-se?

R

Atualiza-te e mantém-te constantemente informado sobre tudo.

Pesquisa muito, muito, pergunta muito. Conhece e conversa com pessoas que possam acrescentar conhecimento e experiência à tua vida e sempre que te fizerem um convite, vai sem medo.

É um conselho no geral, mas funciona no particular, no digital.