Newsletter
Menu
Pesquisa

Aluna
Catarina Alves Jorge

entrevista

Catarina
Alves Jorge
Aluna

Catarina Alves Jorge é Junior Account Manager e foi aluna do curso intensivo Social Media Marketing Strategy na EDIT. Lisboa. Nesta entrevista, partilha o seu percurso, o seu ponto de vista em relação ao curso ter sido lecionado em formato remote learning e ainda nos diz que influência é que os conhecimentos adquiridos e os contactos criados através da realização do curso vieram mudar o seu ponto de vista sobre a área.

Tinha uma certa “aversão” e uma visão muito superficial daquilo que era o trabalho em redes sociais, do ponto de vista das marcas. Hoje, não só acho que é muito mais interessante do que aparenta, como muito mais complexo do que alguma vez pensei.

E.

No que diz respeito ao teu percurso académico e profissional, fala-nos um pouco sobre ele, e de que forma chegaste até à EDIT.

C

Licenciei-me em Comunicação Social e Cultural pela Universidade Católica
Portuguesa e, embora tenha tirado o meu curso com o objetivo de ser jornalista, a
minha vida e vontades trocaram-se e eis que cheguei ao marketing.
Na minha opinião, saímos da faculdade, cheios de sonhos, sem grande noção do que
é realmente o mercado de trabalho, com a cabeça cheia de teoria, mas sem
experiência prática. No fundo, sem nunca ter posto a “mão na massa”.
Quando comecei a trabalhar, senti que aquilo que tinha aprendido na licenciatura,
embora útil, não chegava. É aqui que surge a EDIT.
Já tinha ouvido muito falar sobre a EDIT, especialmente através de colegas de
trabalho e amigos que trabalham na área de comunicação e marketing. Ao sentir
necessidade de me atualizar e ganhar novos conhecimentos, procurei por cursos que
pudessem fazer sentido e foi na EDIT que encontrei os cursos com programas mais
completos e do meu interesse.

E.

Os conhecimentos adquiridos e os contactos criados através da realização do curso
Social Media Marketing Strategy, na EDIT. Lisboa, vieram mudar o teu ponto de vista sobre a área?

C

Totalmente. Tinha uma certa “aversão” e uma visão muito superficial daquilo que era
o trabalho em redes sociais, do ponto de vista das marcas. Hoje, não só acho que é
muito mais interessante do que aparenta, como muito mais complexo do que alguma
vez pensei.
O facto de ser uma área em constante mudança e evolução, torna este trabalho
muito mais desafiante.

E.

Neste semestre, devido à pandemia, o curso foi aplicado remotamente. O que tiraste de positivo desta experiência?

C

Muita coisa, sobretudo o facto de ter aprendido a dar mais valor ao contacto pessoal.
Ainda assim, embora tenho sentido que, tanto eu como os meus colegas, tenhamos
tido pena de não nos termos conhecido pessoalmente, acho que a pandemia veio
provar que há muita coisa que pode ser feita à distância. E, nesse aspeto, a qualidade
de vida e o tempo que ganhamos, não tem preço. Seria, certamente muito mais
desafiante, ter que me preocupar com hora de ponta, trânsito, estacionamento, etc,
se tivesse que ir para a EDIT às 19h e isso, iria, provavelmente, retirar parte da minha
predisposição para a aula. Os estímulos que nos fazem falta para sermos mais
criativos e termos novas ideias, não têm, necessariamente, que ser retirados do
tempo no escritório, podemos tê-los, perfeitamente, numa corrida de manhã, num
passeio de fim de tarde ou num jantar com amigos.

E.

Que tendências prevês na área do Marketing Digital e de Social Media em específico?
Utilizas algum tipo de recursos ou plataformas para te manteres atualizada?

C

Tantas e tão poucas! O Marketing Digital e Social Media alteram-se e evoluem a uma
velocidade tão rápida, que o que sinto, muitas das vezes, é que as mudanças surgem
antes, sequer, de ter pensado na possibilidade de virem a acontecer e, quando
aparecem, parece-me óbvio que tenham sido feitas.
Contudo, estando nós a atravessar esta fase, vejo as marcas a adaptarem muito o
tipo de comunicação. O nosso estilo de vida mudou, a nossa vida social também, e já
podemos ver que há uma adaptação daquilo que vendem e da forma como vendem.
E, no meio disto, uma aposta ainda mais forte no digital, uma vez que não andamos
tanto na rua.
Em termos de recursos ou plataformas para me manter atualizada, sigo muitas
contas sobre Marketing Digital e Social Media, quer no Instagram, quer no LinkedIn,
mas confesso que a minha preferida é a Social Bakers.

E.

Que conselhos podes dar a quem tem interesse em entrar na área digital e que se
quer diferenciar?

C

Acho que o melhor conselho que posso dar é fazer o que eu fiz, uma vez que acho
que fiz a coisa certa para tentar entrar no digital e diferenciar-me. Achei o meu curso
muito completo, deu-me uma visão muito abrangente do que é a estratégia de redes
sociais e uma diversidade imensa de ferramentas que me permitem explorar certos
pontos mais ao pormenor.
Depois do curso feito, é só ser curioso 🙂