Newsletter
Menu
Pesquisa

DISRUPTIVE BLOG

09

Junho

20

User Experience

UX writing - como fazer design com as palavras

O UX writing nasce para simplificar a vida aos utilizadores, e tem como principal objetivo estabelecer uma conversa entre estes e um produto digital.

Os melhores produtos digitais não são os que apenas prestam um serviço ao utilizador, mas aqueles que lhe proporcionam uma experiência marcante. Podemos começar por dizer que o UX writing nasceu porque interfaces como esta tornaram-se simplesmente inadmissíveis:

Um passo em falso e podemos dizer “adeus” ao conteúdo do nosso disco.

Ou como esta:

Alguém percebe o que acabou de acontecer? ?

É graças a exemplos como este que a necessidade de pensar a comunicação entre utilizador e interface se tornou numa nova disciplina do design. O UX writing nasce para simplificar a vida aos utilizadores, e tem como principal objetivo estabelecer uma conversa entre estes e um produto digital, dando-lhe a confiança e a ajuda necessárias para realizar as suas tarefas através da linguagem.

Também podemos definir UX writing como a prática de desenhar as palavras que vemos quando interagimos com uma app ou um site. Se queremos criar uma experiência de utilizador de primeira classe, é impensável deixar as palavras para depois.

Pouco importa o quão visualmente apelativa uma app ou um site são. Se o copy for confuso, enganador ou gramaticalmente incorreto, o utilizador vai ter uma má experiência. É por isso que todo o texto tem impacto na experiência: do mais pequeno botão até à mensagem de boas-vindas. O papel do UX writer é precisamente esse — criar o copy certo, no momento certo.

Seja qual for o produto que estamos a criar, tem de haver um diálogo constante com o utilizador, e cada palavra faz parte dessa conversa. Para atingir esse objetivo, o UX writer utiliza uma linguagem clara, concisa e útil, procurando um equilíbrio perfeito entre a linguagem verbal e escrita.

A ascensão do UX writer

A procura de profissionais especializados na escrita para UX disparou.

Nos últimos anos, a função do UX writer tem vindo a ser abraçada por empresas como a Google, a Amazon ou Spotify, que desde cedo reconhecem a sua importância. Estas empresas estão a contratar cada vez mais, ajudando a cimentar a importância do UX writing a nível global e a ideia de que este acrescenta valor ao processo de design como um todo.

Tradicionalmente, nas empresas sempre houve alguém responsável pelas palavras que aparecem nas interfaces, embora este papel tenho sido sempre visto como algo que pode ser feito posteriormente. Com o passar do tempo e com a importância que se dá cada vez mais à experiência do utilizador, é fácil de perceber porque é que uma metodologia de UX, ou seja, a criação de produtos centrados no utilizador, também pode ser útil para a escrita.

O UX writer vem garantir que a experiência do utilizador com um produto digital é o mais suave e eficiente possível. Não escreve para impressionar ou seduzir o utilizador, mas para o guiar e informar de forma a que este entenda o que se está a passar no seu ecrã, e perceba o que acontece de seguida.

O nome de utilizador já existe, mas em vez de comunicar algo frustrante como “Nome de utilizador indisponível”, o Tumblr cria empatia, encorajando o utilizador: “Boa escolha, mas já existe.”

Também podemos encontrar UX writing em:

  • Fluxos de onboarding (registo, login, tutoriais)
  • Formulários
  • Mensagens de sucesso e de erro
  • Tooltips, empty states e placeholders
  • Notificações
  • Botões
  • Páginas 404

 

Muito mais do que escrever

Quando pensamos em UX writing pensamos, naturalmente, em escrita. No entanto, um UX writer faz muito mais do que escrever. É um verdadeiro embaixador do utilizador, considerando cada aspeto da experiência sempre do ponto de vista deste último.

Por estranho que pareça, a escrita não é o seu skill mais importante. A capacidade de conduzir pesquisa que sustente as suas decisões, de testar o conteúdo, ou de sentir empatia pelos utilizadores e compreender sua jornada online são essenciais.

É preciso não ter receio de fazer perguntas e de falar com vários stakeholders para obter dados, e saber estar atento a outras apps ou sites para perceber padrões.

O trabalho em equipa talvez seja o skill mais importante: um UX writer não deve trabalhar sozinho, mas em colaboração com equipas multidisciplinares, da qual fazem parte designers, developers, researchers e product owners, entre outros.

O UX writer deve ainda procurar conhecer o processo de UX design, compreender a importância do design centrado no utilizador, ou seja, focado no público-alvo, e familiarizar-se com conceitos como usabilidade, inclusividade e acessibilidade.

 

UX writers e designers não são assim tão diferentes

Da mesma forma que um UX designer incorpora elementos da marca no seu trabalho, um UX writer pensa no tom e voz do produto, e na forma como este se manifesta. Se um UX designer é responsável por pensar em componentes como botões ou formulários, o UX writer também o é, mas com palavras que motivem a ação.

No fundo, a abordagem é a mesma: baseada em pesquisa, iterativa, colaborativa e sempre testada. UX writers e UX designers partilham exatamente dos mesmos objetivos. Apenas utilizam ferramentas diferentes para o conseguir.

Artigo escrito pelo tutor Pedro Quintino.

QUERO PARTILHAR ESTA PÁGINA
QUERO PARTILHAR ESTA PÁGINA